Cavalhadas de Pirenópolis

Teatro a céu aberto representando a batalha entre Mouros e Cristãos

Cavalhadas em Pirenópolis

Principal festa tradicional da cidade as Cavalhadas em Pirenópolis é um evento bastante conhecido e aguardado. No período de sua realização a cidade fica repleta de turistas de várias partes da região e do país.

As Cavalhadas é uma representação teatral a céu aberto da “Batalha de Carlos Magno e os 12 pares da França” e foi instituída em Portugal pela Rainha Isabel no século XVIII.

Foram os padres Jesuíta que trouxeram a apresentação das cavalhadas ao Brasil como forma de catequizar os índios e disseminar o catolicismo em terras tupiniquins.

Em Pirenópolis a celebração ocorre uma semana após o fim da Festa do Divino. Um cortejo com banda passa de casa em casa chamando os cavaleiros para o ensaio e assim se segue até o fim das apresentações, com muita música, danças, fé e comidas típicas da região.

A cidade se enfeita para receber os cavaleiros Mouros (vermelhos) e cristão (azuis). A batalha acontece no “Cavalhódromo”, espaço exclusivo criado para a apresentação das Cavalhadas Pirenopolinas com direito a arquibancada para o público acompanhar. Também fazem parte das Cavalhadas os mascarados, que são um show à parte, trazendo alegria, cores e muita traquinagem no decorrer da festa.

A população da cidade se confunde com a festa. Todos os participantes, principalmente os cavaleiros, são pessoas que angariam muito respeito por participar da festa e manter a tradição desde 1826.

Em Pirenópolis é encenada também a Cavalhadinha, que reproduz a tradicional Cavalhadas mas apenas com a participação de crianças. Essa bela iniciativa é uma forma de repassar e manter a tradição através da nova geração que conhece desde pequeno a importância dessa festa.

Cavalhadas e Festa do Divino em Pirenópolis

A história da Festa do Divino e das Cavalhadas

A Festa do Divino acontece sempre sete semanas depois do Domingo de Páscoa e refere-se a comemoração do Espírito Santo sobre todos os apóstolos.

A origem se refere a comemoração da construção da igreja do Espírito Santo, na cidade de Alenquer, Portugal. A construção da Igreja ocorreu ainda no século 14 e a celebração de inauguração foi feita pela Rainha Isabel.

No Brasil, a festa começou por volta do século 17 e se tornou parte da cultura local.

Atualmente a festa se mantém viva em várias regiões do Brasil. E, em Pirenópolis, ela se apresenta através das cavalhadas que representa a batalha entre mouros e cristãos, mascarados e representação teatral.