Por:

Arquitetura de Pirenópolis: entenda porque a cidade é patrimônio histórico!

Além das cachoeiras, um grande atrativo turístico de Pirenópolis é o seu Centro Histórico, onde você tem a oportunidade de conhecer de perto os belos casarões e igrejas que fazem parte da arquitetura de Pirenópolis.

Mas você sabe como a arquitetura da cidade foi desenvolvida? Acompanhe neste post sobre a arquitetura colonial, como foi feita a reforma dos casarões e igrejas e como Pirenópolis se transformou em patrimônio histórico.

A arquitetura colonial de Pirenópolis

Pirenópolis foi fundada no período colonial pelos portugueses. A cidade foi construída levando-se em conta a arquitetura colonial da época que tinha como grande influência o estilo barroco.

Os casarões foram construídos aproveitando as pedras da região, além da madeira, taipa, adobe e pilão. A maioria é casa térrea com belas fachadas e a aparência é de algo bem rústico.

As igrejas também foram construídas no estilo barroco, mas com a aparência mais suntuosa. As torres são altas e a luz do sol ilumina a sua fachada. Além disso, todos os elementos artísticos seguem o estilo barroco.

Arquitetura de Pirenópolis – a reforma dos casarões e igrejas

No século XX algumas famílias abastadas de Pirenópolis fizeram reformas significativas nas fachadas dos casarões. Neste momento novas construções no estilo neoclássico e art decô surgiram na cidade.

Em algumas restaurações de interiores os arquitetos seguiram à risca a preservação dos exteriores das casas coloniais. Mas em grande parte foram aplicados toques do barroco mineiro.

No entanto, o que predominou foi a técnica colonial pirenopolina, mas priorizando um design totalmente diferenciado. As chamadas obras neocoloniais apresentava um segundo pavimento e ainda tinha uma entrada lateral.

A arquitetura presente no Centro Histórico de Piri

Centro Histórico em Pirenópolis rolé em Pirenópolis

O Centro Histórico de Pirenópolis é a parte mais antiga da cidade. A região é repleta de casarões que foram reformados, mas que ainda mantém a arquitetura colonial da época de sua fundação.

A arquitetura barroca presente na maior parte dos imóveis do local tem um traçado irregular, de influência colonial, mas que se adaptou de forma orgânica às curvas do terreno, recebendo forte influência religiosa.

Apesar da arquitetura dos casarões ser simples, recebeu influência da arquitetura portuguesa. Portanto, as construções possuem sacadas em pedras ou madeira, as fachadas são contíguas e os quintais são enormes para se adaptar ao clima tropical do local.

As construções mais famosas são as religiosas como a Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário, a Igreja de Nosso Senhor do Bonfim e a Igreja Nossa Senhora do Carmo. Mas é possível encontrar vários casarões como o Theatro Sebastião Pompeu de Pina e Casario Rio Aurora.

Pirenópolis se transforma em patrimônio histórico

Arquitetura de Pirenópolis

Em 1989 os principais monumentos da cidade foram tombados como patrimônio histórico pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN. Foi neste período que foram promovidas várias ações para preservar todo o patrimônio cultural, histórico e arquitetônico de Pirenópolis.

Com a preservação e o tombamento dos monumentos da cidade, Pirenópolis passou a receber um número maior de turistas. Dessa forma, o local acabou se tornando um importante polo turístico na região.

Ao saber um pouco sobre a história da arquitetura de Pirenópolis você consegue entender porque a cidade é considerada patrimônio histórico. Agora é só preparar a mala para conhecer de perto esse lugar!