Por:

Conheça mais sobre a história das Comunidades Hippies de Pirenópolis

Confira a história das comunidades hippies de Pirenópolis, Ecovilas, relação com a fabricação de joias de prata e mais curiosidades sobre a comunidade alternativa.

A atmosfera tranquila e as belezas naturais da região ainda servem de refúgio para as comunidades hippies de Pirenópolis. Por isso, a cidade é considerada um dos principais destinos místicos do Brasil.

Dentro das comunidades as pessoas vivem em comunhão com a natureza, apenas usufruindo daquilo que ela pode lhes proporcionar. Desde a produção dos alimentos até a construção de suas casas, a escolha é viver de forma ecologicamente sustentável. Conheça um pouco mais sobre a história das comunidades hippies da cidade.

História das Comunidades Hippies de Pirenópolis

A cidade de Pirenópolis foi marcada pelos tempos áureos do garimpo de ouro e foi atrás disso que os primeiros hippies chegaram ao local, na década de 80. Eles estavam à procura de terras para formar as suas comunidades alternativas.

Terra Nostra foi a primeira comunidade hippie que se instalou na região, depois dessa, várias comunidades se formaram na cidade e foram evoluindo até chegar as chamadas ecovilas que aplicam um estilo de vida sustentável em Pirenópolis.

Fabricação de joias artesanais

Os primeiros integrantes da comunidade Terra Nostra levaram para a região a arte da produção de peças de artesanato em prata. Como uma forma de compartilhar os seus conhecimentos, eles começaram a ensinar o ofício aos moradores de Pirenópolis.

Artesanato em Pirenópolis

Em pouco tempo, o município conseguiu atingir uma grande produção. As joias foram vendidas tanto no Brasil quanto no exterior, uma vez que os visitantes ficavam admirados com as características inconfundíveis das peças e as levavam para fora do país.

A produção de joias em Pirenópolis mudou a vida de muitos moradores locais que aprenderam um novo ofício com os hippies e transformaram isso em trabalho e sustento para as suas famílias. Portanto, o mercado de joias em prata se tornou um segmento de extrema importância econômica na região.

Comunidades alternativas e místicas

Várias comunidades ainda estão presentes em Pirenópolis e muitas pessoas vão até a cidade com o objetivo de conhecê-las, mas também para encontrar a paz e a tranquilidade do lugar.

Uma dessas comunidades, chamada FraterUnidade serviu de inspiração para a novela “Estrela Guia” que retratava uma fictícia comunidade hippie na região de Goiás e fez o local ficar ainda mais conhecido.

De comunidade alternativa a ecovila

Atualmente, muitas dessas comunidades alternativas se transformaram em ecovilas que visam um estilo de vida social harmônico e sustentável. Nesse espaço caminham juntos o homem, a natureza e a arquitetura.


Conheça também:

• Melhores Cachoeiras em Pirenópolis


As ecovilas são excelentes modelos de vida sustentável de baixo impacto na natureza. Elas englobam aspectos ecológicos, sociais, culturais e espirituais, sem precisar tirar da terra mais do que podem devolvê-la.

As casas são construídas com tijolos feitos de barro, palha e areia que são secos ao sol. O reboco é feito de forma ecológica e a tinta utilizada deixa a estrutura impermeável. Na maioria dos pisos, o material usado é a pedra de Pirenópolis.

O Ecocentro Instituto de Pernacultura e Ecovilas do Cerrado ― IPEC ― é considerado a maior Ecovila do Brasil. O Instituto está localizado em uma comunidade rural de 25 hectares e conta, atualmente, com 9 moradores.

O local se tornou um centro de estudo para pessoas que queiram fazer os seus cursos de desenvolvimento sustentável e um ponto de visitação para aqueles que estão de passagem por Pirenópolis.

Ter a oportunidade de conhecer as comunidades hippies de Pirenópolis é entender todo o universo místico que a atmosfera local proporciona aos seus visitantes. Portanto, aproveite a experiência quando estiver viajando pela cidade.